Efeitos colaterais das viagens espaciais nos seres humanos.

Será que algum dia vamos viver no espaço? Ou, quem sabe, teremos que fazer uma viagem para outro sistema solar para encontrar um novo lar? Embora essas possibilidades pareçam mais coisa de cinema do que realidade, é e sempre será um sonho da humanidade viajar pelo espaço sideral e explorar os confins do universo.

Mas antes de sonhar com as viagens espaciais, talvez seja importante saber o que acontece com nosso corpo lá fora. As mudanças podem ser severas e difíceis de se adaptar. Pode acreditar, uma viagem no espaço não é nenhum cruzeiro de luxo.

Síndrome da Adaptação Espacial

em a gravidade da Terra puxando o corpo humano para baixo, é possível sofrer de um mal conhecido como síndrome da adaptação espacial. É como um enjoo, mas acompanhado de dores de cabeça, desorientação, desconforto intenso e, possivelmente, vômitos e vertigem. Cerca de metade de todas as pessoas que vivem no espaço têm a síndrome. A causa não é necessariamente a falta de gravidade, mas sim a mudança súbita na força gravitacional. Uma vez que a adaptação acontece, as coisas tendem a se normalizar. A boa notícia é que ela só dura alguns dias. Isso é especialmente bom porque vomitar no espaço não é a melhor das ideias.

Quando você entra em uma roupa espacial, você tem que usar um equipamento de drenagem transdérmico anti-náusea. Isso porque vomitar na roupa espacial não seria apenas nojento: poderia ser fatal. Imagine estar dentro de um aquário com um tubo a vácuo acoplado como entrada de ar. Se você vomita lá dentro, teria problemas de visão e respiração, e tudo fica ainda pior considerando que você está no espaço, sem gravidade.

O cheiro

O último sentido que pensamos que será estimulado no espaço é o olfato. Mas você já parou para se perguntar que cheiro tem o espaço? A descrição dos astronautas varia entre um cheiro de carne assada, metal e pólvora. “A melhor descrição que posso encontrar é ‘metálico’”, define o astronauta Don Petite.

Somos nós mesmos e, mais especificamente, a nossa atmosfera, que dão ao espaço esse cheiro especial. De acordo com os pesquisadores, o aroma que os astronautas inalam inalam enquanto movem sua massa do espaço para a estação é o resultado de “vibrações de alta energia em partículas trazidas para dentro, que se misturam com o ar”.

A NASA chegou mesmo a contratar o químico Steven Pierce para recriar o odor do espaço para fins de treinamento.

Você vai perder suas unhas

O fenômeno é chamado de delaminação das unhas. Em um estudo recente, 22 astronautas relataram suas unhas perdidas. Fazer as unhas, portanto, é uma tarefa a menos caso você vá para o espaço.

As luvas volumosas do traje espacial cortam a circulação e a pressão na ponta dos dedos faz com que você perca as unhas. Alguns astronautas chegam a arrancar as próprias unhas antes de ir para o espaço para evitar essa alternativa.

Cristiane Tavolaro

Sou física, professora e pesquisadora do departamento de física da PUC-SP. Trabalho com Ensino de Física, atuando principalmente em ensino de física moderna, ótica física, acústica e novas tecnologias para o ensino de física. Sou membro fundadora do GoPEF - Grupo de Pesquisa em Ensino de Física da PUC-SP e co-autora do livro paradidático Física Moderna Experimental, editado pela Manole.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *