CORREIOS LANÇAM SELOS EM HOMENAGEM A CIENTISTAS BRASILEIROS

CÉSAR LATTES E JOANNA DÖBEREINER ILUSTRAM SELOS LANÇADOS PELOS CORREIOS. AS ILUSTRAÇÕES SÃO INTERLIGADAS POR UM ÁTOMO, ELEMENTO COMUM ENTRE OS DOIS.

Neste mês de dezembro, os Correios vão lançar dois selos em homenagem a cientistas do nosso país: Joanna Döbereiner e César Lattes.

Lattes impulsionou a construção da estrutura político-administrativa de ciência no Brasil. Já Joanna Döbereiner foi pioneira no estudo da biologia do solo e na pesquisa sobre Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN) nas plantas pela bactéria rhizobium, descoberta que se tornou referência mundial e revolucionou a agricultura. Os lançamentos começam hoje, dia 11 de dezembro, em São Paulo, no Museu Catavento. Outros serão realizados no Rio de Janeiro, no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no dia 14, e na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba, no dia 19.

SOBRE OS SELOS

  A tiragem é de 360 mil selos, ao custo de R$1,85, cada. As peças poderão ser adquiridas nas agências dos Correios e na loja virtual da estatal. Os dois selos são interligados por elemento em comum entre os dois cientistas: um átomo. De acordo com o edital, o desenho de César Lattes busca ilustrar uma grande descoberta do cientista que é a partícula atômica Méson Pi. Lattes estudou os raios cósmicos, montando um laboratório em uma montanha nos Andes e utilizando chapas fotográficas melhoradas com boro.


“O átomo é de nitrogênio e foi representado de maneira lúdica como nos livros didáticos. As cores de base de cada selo também buscam se relacionar com o campo de atuação dos dois cientistas”.

Na textura ao fundo de sua imagem, foram utilizados alguns rascunhos, representando cálculos e fórmulas.

Já a ilustração da engenheira agrônoma Johanna Döbereiner retrata sua principal pesquisa: a relação entre uma planta e as bactérias fixadoras de nitrogênio.Como textura de fundo, foram utilizadas ilustrações em vetor de folhas e leguminosas.


Reprodução / Correios

O texto sobre o cientista Lattes foi escrito pelo físico Ildeu de Castro Moreira, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), já o de Döbereiner, pela jornalista Liliane Bello, do Núcleo de comunicação da Embrapa Agrobiologia.

FILATELIA: AMOR PELOS SELOS

 Etimologicamente formada das palavras gregas phílos (amigo, amador) e atelês (franco, livre de qualquer encargo ou imposto), a filatelia pode ser definida como o ato de colecionar selos, especialmente aqueles considerados raros. Muito mais do que um hobby de colecionismo, a filatelia é também uma ciência e uma arte que apaixona pessoas dos mais diversos lugares do mundo. Os primeiros selos comemorativos do Brasil foram emitidos em 1900 e celebravam o 4º Centenário do Descobrimento do país.

Somente em 1906 foram feitas emissões comemorativas com repercussão no exterior, sendo alusivas ao 3º Congresso Pan-Americano.

Fonte: Minas faz Ciência 

Cristiane Tavolaro

Sou física, professora e pesquisadora do departamento de física da PUC-SP. Trabalho com Ensino de Física, atuando principalmente em ensino de física moderna, ótica física, acústica e novas tecnologias para o ensino de física. Sou membro fundadora do GoPEF - Grupo de Pesquisa em Ensino de Física da PUC-SP e co-autora do livro paradidático Física Moderna Experimental, editado pela Manole.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *