Sensores IoT mantêm a segurança dos alimentos frescos

Comida estragada ou contaminada é responsável por 48 milhões de doenças transmitidas por alimentos apenas nos EUA. Como 40% dos alimentos frescos estão sendo desperdiçados a cada ano devido a essa contaminação, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Temple apresentou um dispositivo IoT (Internet of Things) barato para monitorar alimentos durante o trânsito.
"O desperdício de alimentos devido a problemas de qualidade e contaminação tem inúmeros efeitos nocivos, incluindo aumento dos custos de saúde, custos da cadeia de fornecimento e emissões de gases de efeito estufa", disse Krishna Kant, professor e diretor do Centro de Pesquisa em Armazenamento Inteligente (CRIS) Universidade. "Ao melhorar a qualidade e o monitoramento de contaminação, podemos impactar todos esses aspectos".

Após um exame dos processos atuais de transporte e distribuição (T & D), a equipe apresentou uma solução para reduzir o desperdício de alimentos e remover alimentos contaminados ou estragados. Abaixo, a Figura 1 ilustra a proposta de arquitetura de sensoriamento e comunicação (S & C), incluindo monitoramento e sistemas centralizados de coleta de dados.
  
Os sensores de alimentos incorporados em embalagens inteligentes podem fornecer um indicador de qualidade para varejistas e clientes e podem ganhar vida na forma de etiquetas que mostram o histórico acumulado de temperatura e tempo do produto. Em vez de adicionar camadas de complexidade aos sensores de alimentos da IoT, a equipe propôs a combinação de sensores simples com um rádio para permitir o monitoramento contínuo. Dessa forma, a coleta e a análise de dados online podem ser capturadas em tempo real. O módulo S & C monitora o conteúdo de um pacote usando um sensor de contato (químico) ou sem contato (amostragem de gás ou imagem). O nó âncora implantado nas proximidades dos dispositivos permite a transmissão desses dados para o motorista e para a equipe de logística central, conforme a Figura 2. 
Com esse tipo de arquitetura, a equipe acredita que o desperdício de alimentos pode ser drasticamente reduzido e as eficiências de T & D podem ser significativamente melhoradas. Tudo, desde a distribuição inteligente até a detecção pró-ativa de contaminação, pode ser afetado por essa arquitetura. Em uma época em que há alta demanda por alimentos em todo o mundo, mudanças em grande escala como essa são necessárias.
“Embora os grandes varejistas e distribuidores estejam buscando agressivamente a infraestrutura de monitoramento de alimentos, eles ainda não estão no ponto de implantar soluções em tempo real”, disse Krishna. "Nosso trabalho é mais voltado para o futuro, e esperamos que ele fundamente o próximo passo da pesquisa em andamento sobre sensores de baixo custo".

Essas próximas etapas podem incluir aplicativos em vários setores. À medida que essa tecnologia amadurece, esses dispositivos de IoT podem se expandir para garantir a segurança e a qualidade de outros produtos, como dispositivos e suprimentos médicos, e equipamentos eletrônicos sensíveis à temperatura.

Para obter mais informações sobre sensores IoT, visite a Biblioteca Digital IEEE Xplore.

Fonte: IEEE Xplore
Tradução nossa. 

Cristiane Tavolaro

Sou física, professora e pesquisadora do departamento de física da PUC-SP. Trabalho com Ensino de Física, atuando principalmente em ensino de física moderna, ótica física, acústica e novas tecnologias para o ensino de física. Sou membro fundadora do GoPEF - Grupo de Pesquisa em Ensino de Física da PUC-SP e co-autora do livro paradidático Física Moderna Experimental, editado pela Manole.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *