Imagens hipnotizantes mostram ondas de gravidade sobre a Austrália

Ondas de gravidade no céu geralmente são invisíveis, mas imagens de satélite capturadas recentemente mostram um raro vislumbre do fenômeno na costa do noroeste da Austrália.

As imagens mostram o ar se afastando da terra e do oceano, como uma espécie de fileiras de linhas brancas curvas. Essas finas faixas brancas são nuvens se formando nas cristas das ondas de gravidade atmosférica.

Ondas de gravidade aparecem após distúrbios atmosféricos. Nesse caso, foram desencadeadas por tempestades na área, que produziram ar frio, que é mais denso que o ar quente sobre a terra. A interação entre o ar frio e o quente agitou a atmosfera, e as ondulações formadas foram maneira da gravidade restaurar esse equilíbrio perdido.

Diferente das ondas gravitacionais que se tratam de ondulações teóricas no espaço-tempo, propostas pela teoria da relatividade geral de Einstein, as ondas gravitacionais são um fenômeno físico. Por exemplo: imagine as ondas do oceano ou as ondulações que se formam em um lago após você jogar uma pedrinha na água. Embora geralmente não possamos ver ondas de gravidade na atmosfera, elas se comportam da mesma maneira que os líquidos quando são perturbados, de acordo com a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA).

As ondas de gravidade atmosférica tomam forma a partir do empurrão e da tração entre a gravidade e a flutuabilidade; quando o ar é perturbado, a gravidade puxa o ar para baixo e a flutuabilidade do ar o empurra de volta. Em alguns casos, quando há bastante umidade no ar, a condensação da água cria contornos de vapor brancos ao longo das cristas das ondas de ar oscilantes; as linhas brancas se dissipam quando o ar afunda em vales.

Quando isso acontece, as linhas ondulantes das ondas são visíveis aos satélites, como foi o caso do satélite meteorológico geoestacionário Himawari-8 do Japão, que capturou as imagens.

Veja o vídeo no link https://pmd.cdn.turner.com/cnn/.e/interactive/html5-video-media/2019/10/24/Gravity_waves_resized.mp4

Também foi possível observar uma grande nuvem de poeira marrom transportada do oceano pela costa australiana, tornando as ondas ainda mais fáceis de detectar, informou a Australian Broadcasting Corp. (ABC).

Fonte: Socientífica

Sobre ondas de gravidade: CREF

Cristiane Tavolaro

Sou física, professora e pesquisadora do departamento de física da PUC-SP. Trabalho com Ensino de Física, atuando principalmente em ensino de física moderna, ótica física, acústica e novas tecnologias para o ensino de física. Sou membro fundadora do GoPEF - Grupo de Pesquisa em Ensino de Física da PUC-SP e co-autora do livro paradidático Física Moderna Experimental, editado pela Manole.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *