Singularidade Tecnológica!

“[…] isto, então, é a Singularidade. A Singularidade é uma mudança tecnológica tão rápida e tão profunda que representa uma ruptura no tecido da história humana. Alguns diriam que não podemos compreender a Singularidade, pelo menos com o nosso nível atual de compreensão, e que, portanto, é impossível olhar além do “horizonte de eventos” e dar sentido ao que está além. (Kurzweil, 2005, tradução nossa). ”

A analogia com a singularidade gravitacional relativística fica evidente inclusive pelo uso da expressão “horizonte de eventos”, mas é importante lembrar que se trata de um horizonte apenas temporal e não espaço-temporal, como no caso do horizonte de eventos de um buraco negro.

Kurzwel previu que em 2023 a Inteligência Artificial ultrapassará a capacidade intelectual de um humano e em 2045 superará a capacidade cerebral equivalente à de todos os seres humanos juntos.

 

Eis aí, a Singularidade Tecnológica!

 

E por ser uma singularidade temporal, todas as respostas relativas ao que acontecerá a seguir são especulações pois as equações que conhecemos hoje “não funcionam” – fornecem infinitos como resultados – isto é, “[…] é impossível olhar além do horizonte de eventos (Kurzweil, 2005). ”

Um possível especulação: o crescimento da inteligência do trans humano – o híbrido entre máquinas e seres biológicos que pode ser o próximo passo evolutivo dos seres humanos – uma superespécie em que homem e tecnologia estariam integrados e indissociáveis.

A grande questão é: se esta superespécie desenhar máquinas ainda mais inteligentes, como previu Good, a inteligência humana deixaria de existir? A espécie humana sucumbiria após 2045? A primeira máquina ultra inteligente seria a última invenção feita pelo homem (Good, 1065)?

Saindo deste cenário caótico para a espécie humana, também é possível especular que, se programada adequadamente, a Inteligência Artificial ultra inteligente poderá encontrar soluções para equilibrar a sustentabilidade energética do planeta de modo que humanos e máquinas coexistam, ou ainda, cogitar a vida eterna através de um “upload de consciência” para um computador, livrando-a do corpo humano mortal e frágil.

A maior especulação para Vernor Vinge e Ray Kuzweil é que a Singularidade Tecnológica pode nos levar a mudanças comparáveis ao surgimento da vida humana na Terra culminando com surgimento de uma nova espécie.

 

 

Cristiane Tavolaro

Sou física, professora e pesquisadora do departamento de física da PUC-SP. Trabalho com Ensino de Física, atuando principalmente em ensino de física moderna, ótica física, acústica e novas tecnologias para o ensino de física. Sou membro fundadora do GoPEF - Grupo de Pesquisa em Ensino de Física da PUC-SP e co-autora do livro paradidático Física Moderna Experimental, editado pela Manole.

2 comentários em “Singularidade Tecnológica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *