Lixo espacial: devemos nos preocupar?

A estação espacial chinesa Tiangong-1, de 10 toneladas, regressou à Terra na madrugada desta segunda-feira (02/04/18) em uma queda descontrolada de uma órbita terrestre baixa, tendo reentrado na atmosfera sobre o sudoeste da América do Sul e caído no sul do Oceano Pacífico.”

Gosto de analisar as chamadas das notícias relacionadas à ciência e tecnologia porque sempre me provocam a pensar em cidadania: como a sociedade civil trata tal situação? Se o satélite está em “queda descontrolada” pode cair em qualquer lugar?

Faz uns cinco anos fui convidada a escrever uma coleção de livro didático de física para o ensino médio. Éramos em quatro autores, mas com tantas atividades cada um que não conseguimos alavancar o projeto. Porém, fizemos uma grande tentativa e eu escolhi um capítulo bem salgado: movimento circular.

Escrever um livro didático é uma responsabilidade muito grande e é necessário seguir normas e procedimentos estabelecidos pelo MEC (Ministério da Educação e Cultura), principalmente se a intenção é que o livro seja oferecido para escolas da rede pública. O Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) exige que o livro contenha propostas de atividades de investigação e interdisciplinaridade que sejam passíveis de aplicação em qualquer região do país.

Como o livro não foi editado, vou abrir aqui a atividade que elaborei para que professores possam ter ideias de outras atividades relacionadas!

Antes, reproduzo aqui, a próxima frase da notícia sobre a queda da estação espacial chinesa:

“Assim como o previsto, a queda na Terra do laboratório espacial chinês Tiangong-1 não provocou danos. A estação espacial se desintegrou na reentrada da atmosfera, oferecendo a alguns países sul-americanos um “espetáculo esplêndido”, semelhante a uma chuva de meteoros.”

Parece que a queda não era tão descontrolada assim. Veja o porquê.

Atividade interdisciplinar de física e geografia.

Leia o texto a seguir:

Agência Espacial Europeia vai criar radar para detectar lixo espacial

Fonte:

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/09/agencia-espacial-europeia-vai-fazer-radar-para-detectar-lixo-espacial.html

A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) informou nesta quinta-feira (13) que vai construir um radar experimental para detectar fragmentos de resíduos espaciais, o que facilitará que satélites desviem deles. O projeto “permitirá provar e validar novas técnicas para monitorar a posição dos fragmentos de lixo espacial”, indicou em comunicado o responsável do programa preparatório da ESA para conhecimento do meio espacial, Nicolas Bobrinsky.

A rápida detecção e a monitoração dos fragmentos de lixo espacial vão permitir avaliar os riscos de impacto com satélites e alertar a tempo os operadores para que realizem manobras de evasão, acrescentou a ESA.

O novo radar, que contará com dois centros nos arredores de Paris, terá um custo de quase R$ 10,5 milhões e será construído pelo centro de pesquisa francês Onera, junto com outros cinco sócios industriais da Espanha, França e Suíça.

Ilustração mostra imensa quantidade de lixo espacial na órbita terrestre (Foto: Nasa/AP Photo)

 

 

Agora investigue na internet e responda:

1- Qual o tempo de vida útil de um satélite artificial?

2- Quais são as estimativas quanto à quantidade de detritos e seus respectivos tamanhos? Quantos em média, retornam à Terra (por mês, por exemplo)?

3- Todos os objetos lançados ao espaço pelo homem serão considerados, um dia, parte do lixo espacial?

4- Existe uma legislação internacional que trata do uso do espaço cósmico. Pesquise e relacione os itens que você considera mais importantes.

5- O país lançador do objeto espacial é responsável pelos danos causados caso o objeto retorne à Terra. Que responsabilidades são essas?

6- Pensando no Brasil, qual a importância econômica e militar dos satélites? O nosso país tem autonomia e tecnologia para fabricação e lançamento de satélites?

7- Pesquise e relacione relatos de quedas de destroços, no Brasil e no mundo. Verifique se causaram danos à comunidade local e que providências foram tomadas.

8- Você, enquanto cidadão preocupado com as questões que permeiam nossa sociedade, que sugestões pode elencar para minimizar os efeitos decorrentes da existência do lixo espacial?

São mais de 750 mil pedaços de sucata na órbita terrestre, representando um perigo para satélites, foguetes e para a estação espacial ISS. Os detritos também entram na atmosfera terrestre. Especialistas da Agência Espacial Europeia (ESA) estimam que, por ano, acontecem cerca de 40 quedas de dejetos espaciais em algum lugar no mundo. Mas esses incidentes só ocorrem com peças grandes ou constituídas de material extremamente resistente ao calor. Caso contrário, elas são incineradas quando entram na atmosfera da Terra.

Vale a pena a pesquisa, professor?

 

 

 

 

Cristiane Tavolaro

Sou física, professora e pesquisadora do departamento de física da PUC-SP. Trabalho com Ensino de Física, atuando principalmente em ensino de física moderna, ótica física, acústica e novas tecnologias para o ensino de física. Sou membro fundadora do GoPEF - Grupo de Pesquisa em Ensino de Física da PUC-SP e co-autora do livro paradidático Física Moderna Experimental, editado pela Manole.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *