Pela primeira vez, condensado de Bose-Einstein é produzido no espaço.

Uma equipe internacional de pesquisadores produziu um condensado de Bose-Einstein (CBE) no espaço pela primeira vez, com sucesso.

Os cientistas criaram um pequeno dispositivo e o colocaram em um foguete em direção ao espaço. Os experimentos foram conduzidos em queda livre durante sua descida.

A dificuldade em produzir CBE

Um condensado de Bose-Einstein é um estado da matéria que ocorre depois que átomos de gás com densidade muito baixa são resfriados até quase o zero absoluto e se agrupam para formar um estado quântico extremamente denso.

A teoria sugere que o CBE tem propriedades interessantes; por exemplo, poderia servir de base para sensores altamente eficazes. Tais sensores, por sua vez, poderiam ser usados para entender melhor fenômenos da física, como as ondas gravitacionais.

Entretanto, produzir condensados de Bose-Einstein é complicado, porque a gravidade interfere nos dispositivos utilizados para gerá-los e estudá-los.

O método atual envolve colocar tais dispositivos em espécies de “torres” e derrubá-los, para permitir que eles façam seu trabalho em um ambiente de gravidade zero. No entanto, esses experimentos têm apenas frações de segundos para operar. Fazer essas experiências no espaço seria uma opção muito melhor, devido ao ambiente natural de microgravidade.

Cristiane Tavolaro

Sou física, professora e pesquisadora do departamento de física da PUC-SP. Trabalho com Ensino de Física, atuando principalmente em ensino de física moderna, ótica física, acústica e novas tecnologias para o ensino de física. Sou membro fundadora do GoPEF - Grupo de Pesquisa em Ensino de Física da PUC-SP e co-autora do livro paradidático Física Moderna Experimental, editado pela Manole.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *