MIT diz que um novo gadget pode usar Wi-Fi para carregar seu celular

Neste exato momento, sinais eletromagnéticos provavelmente estão sendo emitidos do seu telefone, laptop e outros dispositivos conectados à Internet.

Para pesquisadores que buscam formas de alimentar dispositivos portáteis e dispositivos médicos pequenos e flexíveis, esses sinais de Wi-Fi são uma alternativa promissora às baterias – graças a um novo dispositivo que pode captar o Wi-Fi e convertê-lo em eletricidade utilizável.

A tecnologia para construir esses dispositivos, chamada de rectena, existe há algum tempo. Mas esta é a primeira vez que uma rectena flexível pode gerar uma quantidade prática de eletricidade, segundo uma pesquisa publicada na revista Nature .

Mais importante ainda, as novas retenções são as primeiras que são econômicas para fabricar em larga escala e as primeiras que podem captar sinais Wi-Fi em frequências altas o bastante para ligar dispositivos, como LEDs ou circuitos de um pequeno dispositivo, dizem pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) que os inventaram.

Os pesquisadores por trás do projeto acham que sua rectena tem o poder de transformar a sociedade.

“Criamos uma nova maneira de alimentar os sistemas eletrônicos do futuro – aproveitando a energia Wi-Fi de maneira que seja facilmente integrada em grandes áreas – para trazer inteligência a todos os objetos ao nosso redor”, disse Tomás Palacios, engenheiro do MIT e cientista da computação que trabalhou na projeto, em um comunicado de imprensa publicado pela universidade.

Fonte: Socientífica

Cristiane Tavolaro

Sou física, professora e pesquisadora do departamento de física da PUC-SP. Trabalho com Ensino de Física, atuando principalmente em ensino de física moderna, ótica física, acústica e novas tecnologias para o ensino de física. Sou membro fundadora do GoPEF - Grupo de Pesquisa em Ensino de Física da PUC-SP e co-autora do livro paradidático Física Moderna Experimental, editado pela Manole.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *